História do Direito bem contada

A disciplina de História do Direito colocou a cabeça e a criatividade dos alunos para funcionar. Os trabalhos realizados em aula, além de conferirem o aprendizado histórico, serviram como atividade de lazer, resultando em ótimas produções.

Tratava-se de uma avaliação contínua em que os alunos deveriam elaborar um conto. Nele tinham de criar um personagem e um contexto, pautados em alguns dos sistemas jurídicos até então estudados: Mesopotâmico, Hebraico, Egípcio, da Índia, Muçulmano, Chinês, Japonês e Africano.

Segundo a professora responsável pela iniciativa, Ms. Carolina Suptitz, inúmeras foram as motivações que levaram a tal avaliação: “dificultar o plágio, empenhar os alunos a escrever, estimular a criatividade e, acima de tudo, combinar aprendizado com prazer, haja vista que, para muitos, fazer a avaliação, tenho certeza, foi bastante divertido”, afirma a professora.

Quanto aos resultados, Carolina destaca que, além do atendimento das motivações, a atividade oportunizou:

– Maior aprendizado aos alunos, já que tais culturas e sistemas jurídicos são tratados sucintamente em sala de aula devido à pequena carga horária da disciplina;

– Que descobrissem, tanto professora como alunos, as deficiências de escrita e, sobretudo, a habilidade de muitos.

Confira alguns dos contos. Os autores são, respectivamente, Inaê Siqueira de Oliveira, Janine Garcia Cortes, João Pedro Seefeldt Pessoa e Diogo Escobar Brilhantes.

A FADISMA parabeniza a professora e todos os alunos envolvidos!

Assessoria de Imprensa da FADISMAMichelle Teixeira / Dois Agência de Conteú[email protected]

A disciplina de História do Direito colocou a cabeça e a criatividade dos alunos para funcionar. Os trabalhos realizados em aula, além de conferirem o aprendizado histórico, serviram como atividade de lazer, resultando em ótimas produções.

Tratava-se de uma avaliação contínua em que os alunos deveriam elaborar um conto. Nele tinham de criar um personagem e um contexto, pautados em alguns dos sistemas jurídicos até então estudados: Mesopotâmico, Hebraico, Egípcio, da Índia, Muçulmano, Chinês, Japonês e Africano.

Segundo a professora responsável pela iniciativa, Ms. Carolina Suptitz, inúmeras foram as motivações que levaram a tal avaliação: “dificultar o plágio, empenhar os alunos a escrever, estimular a criatividade e, acima de tudo, combinar aprendizado com prazer, haja vista que, para muitos, fazer a avaliação, tenho certeza, foi bastante divertido”, afirma a professora.

Quanto aos resultados, Carolina destaca que, além do atendimento das motivações, a atividade oportunizou:

– Maior aprendizado aos alunos, já que tais culturas e sistemas jurídicos são tratados sucintamente em sala de aula devido à pequena carga horária da disciplina;

– Que descobrissem, tanto professora como alunos, as deficiências de escrita e, sobretudo, a habilidade de muitos.

Confira alguns dos contos. Os autores são, respectivamente, Inaê Siqueira de Oliveira, Janine Garcia Cortes, João Pedro Seefeldt Pessoa e Diogo Escobar Brilhantes.

A FADISMA parabeniza a professora e todos os alunos envolvidos!

Assessoria de Imprensa da FADISMAMichelle Teixeira / Dois Agência de Conteú[email protected]

Imagem Formulário de Contato

Entre em contato

    Informa-se que a coleta e tratamento de dados pessoais pela Fadisma visa atender ao solicitado neste formulário, bem como para o envio de conteúdo institucional relativo aos serviços prestados por esta instituição, nos termos da nossa POLÍTICA DE PRIVACIDADE, a qual contém mais informações relevantes sobre o tema.

    Política de Privacidade